OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Psoríase: Como a doença impacta na qualidade de vida dos pacientes?

 

A psoríase, doença autoimune marcada pela formação de placas na pele, descamação, sensação de queimação, coceira e dor, afeta o bem-estar de quem convive com ela, sejam pelos prejuízos na qualidade de vida ou pela ansiedade e sentimentos depressivos que acomete os portadores da doença.

Estigmatizada, por falta de conhecimento, muitos acreditam que se trata de algo transmissível e quem tem a enfermidade acaba escondendo o corpo para evitar situações constrangedoras. Desta forma, além do tratamento propriamente dito, dos sintomas, em geral, é proposto um acompanhamento psicológico que pode ajudar a pessoa a encarar melhor tais situações e enfrentar as questões emocionais.

Pesquisa realizada no ano passado no Brasil identificou entre os pacientes o impacto da doença em suas vidas. Entre aqueles ouvidos, 63,7% disseram sentir algum impacto na sua qualidade de vida; 63,1% relataram sentirem dor ou desconforto. Outros 45,1% disseram sofrer com dores nas articulações e 54,1% reclama de ansiedade ou sintomas depressivos, sendo que 9,9% possuem depressão severa.

É fundamental o tratamento adequando, que ameniza os sintomas e a busca de orientação sobre os hábitos que devem ser adotados para que se tenha uma vida de maior qualidade portando esta condição. Há fatores como o sol, atividade física e alimentação que ajuda o tratamento tópico.

Tem dúvidas sobre psoríase? Mande sua pergunta pelos comentários ou através do nosso Instagram @clinicarserdabahia que vamos tentar esclarecê-la!

Clinica SER da bahia - Reumatologia

Conheça os sintomas das principais doenças reumatológicas

Quando devo buscar um reumatologista?

Há mais de 300 doenças reumáticas que podem afetar o aparelho locomotor (ossos, articulações, músculos, tendões) e cuja evolução pode atingir outros órgãos como o coração, o rim, o pulmão, sistema nervoso, os olhos e a pele. Então como saber se devo buscar um reumatologista para iniciar um tratamento?

Bom, as doenças reumáticas são muito diversas e complexas, há numerosas causas diferentes que podem ser de origem inflamatória (como a Artrite Reumatóide e a Espondilite Anquilosante); imunológica (casos de Lúpus Eritematoso Sistémico e Esclerodermia); infecciosa (como as artrites reativas); metabólicas (por exemplo, a Gota) e degenerativa, em que o aparelho locomotor vai perdendo as suas características originais (por exemplo, a Artrose e a Osteoporose).

“Há mais de 300 doenças reumáticas”

O principal sintoma que os pacientes notam em todas essas manifestações reumáticas é a dor, cujas características a diferenciam de outras doenças e auxiliam num diagnóstico mais preciso. Uma dor reumática que surge de noite e tem a sua maior intensidade de manhã ao levantar (dor inflamatória) constitui um sinal de alerta que deve levar o doente a consultar com rapidez o seu médico. Outras pessoas percebem calor e inchaço das articulações e sensação de fraqueza ao executar tarefas muito simples como fechar o botão da camisa ou escrever.

“Diagnóstico precoce aumenta as chances de ter um tratamento adequado”

É muito importante que se consiga um diagnóstico precoce já que, quanto mais cedo uma doença reumática for detectada, maior será a probabilidade de tratamento adequado. A maior parte das doenças reumáticas tem origem desconhecida, mas a investigação médica tem avançado muito nos últimos anos e os doentes já dispõem de medicamentos eficazes para o controle ou mesmo remissão de algumas destas doenças. É importante consultar um reumatologista a partir do momento em que tiver o principal sintoma de qualquer uma das doenças reumáticas: a dor.